A Associação Nacional para a Saúde Mental- AlertaMente fundada em Portugal em Abril de 2018, é uma Organização da Economia Solidária, sem fins lucrativos, apolitica e agente de pressão com capacidade de gerar Debate Público, consciencialização e compreensão do que é Saúde Mental e a necessidade crítica desta em toda a Sociedade. A Associação exerce a atividade de policy-making promovendo o Direito de todos à Prevenção e ao Acesso a Serviços de Saúde Mental e nomeadamente, para que a Saúde Mental passe a ser enquadrada em todas as políticas dos domínios público e privado ao nível nacional e regional.

Logo_ACADEMIA_COFINANCIAMENTO.png
  2 Fevereiro 2022 | Quarta-feira   
logo-fpul-horizontal-simplificado-1.jpg

A SAÚDE MENTAL NA ACADEMIA: O DESAFIO DO ENSINO SUPERIOR 

As instituições de ensino superior têm um papel crucial no desenvolvimento das pessoas, comunidades,  sociedades e culturas pois têm a oportunidade de proporcionarem uma educação transformadora, dar  voz aos alunos e desenvolverem novos conhecimentos, traduzindo-se em benefícios para a sociedade em  geral. Estas instituições têm um posicionamento estratégico para gerar, compartilhar e implementar  conhecimento resultante de pesquisas, que podem melhorar a saúde dos cidadãos. 
 

A promoção da saúde, na qual se inclui a mental, deve estar integrada nas políticas de desenvolvimento  da educação e saúde na Europa. Uma instituição de ensino superior consiste numa parte fundamental de  qualquer estratégia de promoção da saúde pelo trabalho colaborativo, transdisciplinar e intersetorial. 

A academia tem como pedra basilar da sua responsabilidade social a promoção da saúde e este é um  desafio para as instituições do ensino superior do século XXI. A promoção da saúde deve ser otimizada como parte integrante de um quadro mais alargado de princípios e objetivos relacionados com a  sustentabilidade e a responsabilidade social. 
 

De acordo com The Edmonton Charter for Health Promoting Universities and Institutions of Higher  Education, da Organização Mundial de Saúde (2006), as instituições de ensino superior promotoras de  saúde devem estabelecer uma cultura organizacional de promoção da saúde e um ambiente sustentável  para se aprender, trabalhar e viver; promoverem ações para a melhoria dos ambientes educativos, de  trabalho e de vida para os estudantes e colaboradores nas suas instituições; auxiliar os seus membros a  viver uma vida com propósito, dando-lhe um sentido, e a optar por estilos de vida saudáveis; disponibilizar  serviços de saúde para toda a academia e encorajá-los a assumir responsabilidades pela sua saúde e bem estar. 
 

A Organização das Nações Unidas reconhece que ter a melhor saúde possível é um dos direitos  fundamentais de todo ser humano. A promoção da saúde é baseada neste direito humano fundamental  e oferece um conceito positivo e inclusivo de saúde como um determinante da qualidade de vida e que  abrange o bem-estar psicológico. Este é um processo que permite às pessoas aumentar o controle sobre  sua saúde e seus determinantes e, assim, melhorar a sua saúde. 
 

Segundo o Programa Nacional para a Saúde Mental da Direção-Geral da Saúde é importante que a saúde  mental esteja integrada nas políticas e estratégias de saúde pública, devido ao impacto no bem-estar das  populações. A saúde mental pública tem vindo a dar uma relevância crescente às áreas da promoção e da  prevenção, incorporando os conceitos de saúde mental positiva, bem-estar e recuperação. 
 

“Não há Saúde sem Saúde Mental”, ou seja, é essencial o investimento na promoção da saúde mental  positiva e na prevenção da doença. Ter saúde mental positiva consiste num estado de bem-estar no qual  as pessoas conseguem desenvolver as suas capacidades, são capazes de lidar com o stress do dia-a-dia,  trabalham de forma produtiva e com satisfação e contribuem ativamente para a comunidade. No fundo  implica um pleno desfrutar da vida. 

Esperamos por si já no dia 2 de Fevereiro de 2022 na Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa!